Bem-vindos!





O blog foi desenvolvido com o objetivo de mostrar a outras pessoas meus textos, não-textos, viagens, lombras, idéias, não-idéias, poesias ou algo parecido ou nada parecido :P

Espero que gostem, entendam, compreendam e, se possível, reflitam nas horas vagas ou nas vagas horas do nosso cotidianO :P

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Pergunte a sua (in)sanidade


Caminho em meio ao tempo
Os ponteiros se entrelaçam aos contextos
Contesto o que não me surpreende
Solicito mudanças nos padrões
Contrario suas contradições
Mas o remédio se despede da euforia
Eufóricos e sublimes
Submeto-me aos comuns
Comumente chamados de incomuns
e repentinamente surge o repentino
Repete-se o que nos torna inéditos
Notícias inéditas
Ditas por olhos que observam o óbvio
Cantada por bocas que enxergam as (con)tradições
Trata-se de destruir a regra geral
Geralmente construída por dedos adestrados
O ritmo se torna frenético
As contestações são tantas
As estrofes do poema lutam para se separarem uma das outras
Ensaiam a estrutura
Combinam a dança das rimas
Mas as idéias transbordam da mais insana mente
A euforia das palavras distoam o tom
E a quebra se torna impraticável
Mas o passo continua na pista
O timbre passa a conter o passo
Passo por muitos passos
A música conversa com os loucos
E a loucura me promete a normalidade
Será então que sabedoria é conquistada com idade?
Ou é mérito das almas que buscam a purificidade?
Ou é mero assunto de alguma disciplina de faculdade?

Pergunte a sua (in)sanidade...


Ocorreu um erro neste gadget