Bem-vindos!





O blog foi desenvolvido com o objetivo de mostrar a outras pessoas meus textos, não-textos, viagens, lombras, idéias, não-idéias, poesias ou algo parecido ou nada parecido :P

Espero que gostem, entendam, compreendam e, se possível, reflitam nas horas vagas ou nas vagas horas do nosso cotidianO :P

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Sem título

O consumo me consome
As idéias gritam na minha cabeça
As perturbações sentem-se em casa em meio a minha mente
As lágrimas caem por todo o rosto
Limpando o caminho para as próximas
Aproximo-me do verdadeiro caos
As baixas energias se deliciam como em um banquete das trevas
Os risos se tornam confusos
A tristeza monopoliza a alegria
As vírgulas e os acentos anarquizam meu texto
Tudo o que mais gosto vai se desgostando de mim
E aí o texto pára...em respeito à pausa para o desespero...
Em respeito ao entrave da solidão
Em respeito ao desrespeito
O nexo se despede de mim
O bem-estar passa a estar anexo ao meu ser
Podendo se desgrudar a qualquer momento
E aí vejo que o que parecia suficiente não é o bastante
Vejo que já não vejo mais
Sinto que já não sinto mais
Ou vai ver sinto coisas demais
Sinto inveja daqueles pássaros
De poder voar por aí
Sentindo o vento e me aproximando de Deus
Olhando para baixo e vendo o circo de cima
Subindo cada vez mais
E vendo o circo cada vez mais em círculo
Mas o vôo tem volta
E aí eu volto...
Para pisar em chãos que me agradam
E em pisos que me desagradam
E lá vem a pausa de novo...se intrometendo
Beberei um pouco de água
Para compensar tamanha desidratação
E começo a sentir que as músicas perecem mais rapidamente
Que os sonhos se espelham nos pesadelos
E o sono vem...ele tem que vir...graças a fisiologia
Fumo o último cigarro de tantos...
E adormece-se...
Ocorreu um erro neste gadget