Bem-vindos!





O blog foi desenvolvido com o objetivo de mostrar a outras pessoas meus textos, não-textos, viagens, lombras, idéias, não-idéias, poesias ou algo parecido ou nada parecido :P

Espero que gostem, entendam, compreendam e, se possível, reflitam nas horas vagas ou nas vagas horas do nosso cotidianO :P

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Hipocrisia do Se

Se eu não fosse cego, enxergaria toda essa miséria
Se eu não fosse burro, entenderia o mundo
Se eu não fosse surdo, ouviria tuas lágrimas que caem
Se eu não fosse egoísta, ajudaria-te com meu pão
Se eu não fosse pobre, compraria teus problemas
Se eu não fosse aleijado, moveria o mundo
Se eu não fosse ganancioso, contentaria-me com o suficiente
Se eu não fosse tão ocupado, daria mais atenção aos outros
Se eu não fosse o que sou, seria mais...

Se eu fosse mais rico, ajudaria alguém...
Se eu fosse menos ocioso, estimularia-me a evoluir
Se eu fosse inteligente, salvaria o mundo...
Se eu fosse e não fosse...
Se eu fosse...Se eu fosse...Se eu fosse...

Se o se fosse algo,
Talvez eu fosse...
Ou não fosse...
Mas com tantas dúvidas,
é melhor esperar que eu seja
para evoluir...
né???!!!

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Sem título

O consumo me consome
As idéias gritam na minha cabeça
As perturbações sentem-se em casa em meio a minha mente
As lágrimas caem por todo o rosto
Limpando o caminho para as próximas
Aproximo-me do verdadeiro caos
As baixas energias se deliciam como em um banquete das trevas
Os risos se tornam confusos
A tristeza monopoliza a alegria
As vírgulas e os acentos anarquizam meu texto
Tudo o que mais gosto vai se desgostando de mim
E aí o texto pára...em respeito à pausa para o desespero...
Em respeito ao entrave da solidão
Em respeito ao desrespeito
O nexo se despede de mim
O bem-estar passa a estar anexo ao meu ser
Podendo se desgrudar a qualquer momento
E aí vejo que o que parecia suficiente não é o bastante
Vejo que já não vejo mais
Sinto que já não sinto mais
Ou vai ver sinto coisas demais
Sinto inveja daqueles pássaros
De poder voar por aí
Sentindo o vento e me aproximando de Deus
Olhando para baixo e vendo o circo de cima
Subindo cada vez mais
E vendo o circo cada vez mais em círculo
Mas o vôo tem volta
E aí eu volto...
Para pisar em chãos que me agradam
E em pisos que me desagradam
E lá vem a pausa de novo...se intrometendo
Beberei um pouco de água
Para compensar tamanha desidratação
E começo a sentir que as músicas perecem mais rapidamente
Que os sonhos se espelham nos pesadelos
E o sono vem...ele tem que vir...graças a fisiologia
Fumo o último cigarro de tantos...
E adormece-se...

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Superai-vos

Superai-vos

Super ação

Ação

Inativo

Atividade

Superação

Súbito

Sal

Doce

Azedume

Conquista

Vitória

Glória

Nx Zero...ops...é a força do capitalismo...da banalização da música...ops de novo...voltemos...Restart no texto...

Superar o insuperável...

Suportar o insuportável...

Ser mais doce que o mais amável...

Conquistar o ápice da mais azeda batalha...

Lutar em meio a tantos guerreiros mortos...

Calar a boca dos mais podres de palavra...das palavras mais podres...e mais pobres...

Empobrecer as mais fúteis riquezas alheias...

Enriquecer os meus princípios...

Entupir as gargantas dos mais espertos com suas questionáveis inteligências...

Ultrapassar o limite dos padrões...

Despadronizar o patrão...o padrão...o pagão...não?

Relutar em meio à dança urbana, cheia de passos largos e imprecisos...

Precisar os meus ideais...mas alguém ainda precisa deles?

Necessitar minhas necessidades...

E me saciar...acompanhado da minha grata superação...

Ocorreu um erro neste gadget